Avalição da educação superior é debatido em evento internacional.
Notícias
2 de julho de 2021

A avaliação da educação superior foi pauta de três mesas no evento promovido pela Associação Nacional dos Centros Universitários -ANACEU em parceria com a 2 em 1 Educacional na tarde desta sexta-feira(02).

No Brasil, a avaliação da educação superior está prevista pelo Sistema Nacional de Avaliação de Educação Superior – Sinaes que compreende um conjunto de avaliações realizadas   in loco e no desempenho dos estudantes por um exame denominado ENADE.

A partir de diferentes metodologias, aplicadas em momentos distintos, incluindo diversos atores institucionais, esse sistema contempla todas as IES vinculadas ao sistema federal de ensino e busca assegurar, entre outras coisas, a integração das dimensões internas e externas, particular e global, somativo e formativo.

A primeira mesa foi a Avaliação da Educação Superior: Visita in loco – aspectos avaliativos, evidências e inovação debatida pela professora Suzana Schwerz Funghetto, Diretora da 2 Em 1 Educação e Comunicação e pelo professor Luiz Cláudio Costa, Presidente do IREG e Reitor do IESB.

A visita presencial e virtual aspectos práticos, evidências e inovação foi abordada pela Procuradora Institucional Ivanete Oliveira do UNIFOA e Presidente da ANPI, pelo professor Marcelo Gomes da Rosa, Diretor Secretário da ANACEU e Reitor da UNIG e pelo professor Jair Santos Junior, da SANTOS JUNIOR CONSULTORIA que também debateram o tema ENADE – medidas e formação de qualidade.

Segundo o professor Marcelo Rosa, a Portaria do Enade deverá sair brevemente e que há previsão de que a prova aconteça no dia 14 de novembro de 2021.

Para os especialistas das três mesas, não há como compreender as transformações da educação, no âmbito do ensino superior na pandemia e pós-pandemia, sem levar em conta as práticas de avaliação in loco e o ENADE. A avaliação desempenha um papel importante como instrumento indutor de qualidade e insumo para expansão de novas instituições.

A Pandemia é um cenário imposto ao mundo todo pelo contexto da calamidade pública em saúde, provocando uma situação de anormalidade e excepcionalidade nos processos de formação na educação e no mundo do trabalho.

Efeitos perceptíveis e imperceptíveis devem ser previstos pela academia, produzindo um pensar fora da caixa.

O evento proposto pela Associação Nacional dos Centros Universitários – ANACEU visa discutir essa temática vivenciada por todos necessita urgentemente da adesão das instituições de educação superior.

Fonte: 2 em 1 Comunicação e Educação