Formação do MEC torna a tecnologia aliada dos professores
Notícias
agosto 19, 2021

A pandemia trouxe desafios e oportunidades. Um exemplo foi o ensino híbrido (misto de ensino a distância e presencial). Para permitir que professores se superassem e utilizassem a tecnologia a seu favor, da maneira mais didática e pedagógica possível, o Ministério da Educação (MEC), por meio da Diretoria de Formação Docente e Valorização dos Profissionais da Educação (Difor) da Secretaria de Educação Básica (SEB), lançou uma formação que une Educação e Tecnologia.

Trata-se de um aperfeiçoamento gratuito, disponível na plataforma Avamec para todos os professores da educação básica, e que já recebeu mais de 27 mil inscrições. A formação é autoinstrucional e tem cinco módulos divididos em 180 horas, e prazo mínimo de 45 dias para avaliação e obtenção de certificado. Para se inscrever, acesse https://avamec.mec.gov.br/#/.

Módulos

A formação começa apresentando a Cultura Maker, uma proposta de aprender produzindo, ou seja, fabricar, consertar, criar soluções ao invés de consumir algo pronto. “Essa cultura torna as pessoas mais proativas, autônomas e colaborativas, capacidades necessárias para um bom aproveitamento do ensino a distância”, exemplifica o diretor Renato Brito, da Difor.

Já o módulo 2 detalha as características do ensino híbrido, sugerindo recursos didáticos que favoreçam a autoaprendizagem. O terceiro módulo apresenta os REDs (Recursos Educacionais Digitais), ou seja, vídeos, sites, jogos e aplicativos. O módulo mostra o poder desses recursos, além de propor discussões sobre o futuro tecnológico que aguarda a educação, de maneira globalizada.

O módulo 4 mostra como esses REDs podem ajudar a quem trabalha com inglês e espanhol. Por fim, o módulo 5 apresenta metodologias para o ensino de artes com tecnologia. Alguns REDs serão compartilhados para um melhor aproveitamento dessa disciplina nas escolas.

Opinião de quem se capacitou em Educação e Tecnologia

Para Alana Moreti, que trabalha com Educação de Jovens e Adultos (EJA) em Votorantim (SP), “o conteúdo amplia a visão que o professor tem sobre Educação e Tecnologia e fornece propostas de atividades práticas.”.

Já Benildo Antônio Barbosa da Cruz indicou a formação “Educação e Tecnologia” para vários colegas professores. Ele trabalha em Santarém (PA) com ensino médio na zona rural. “Assim que as aulas presenciais voltarem, eu vou poder implementar o que aprendi com essa formação oferecida pelo MEC.”.

 

FONTE: Assessoria de Comunicação Social do MEC com informações da SEB