Mais de 2,3 milhões compareceram ao 2º dia do Enem 2022
EducaçãoENEMMECNotícias
novembro 21, 2022

Ao todo, 2.351.513 participantes compareceram ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2022 no último domingo, 20 de novembro. O número corresponde a 67,6% dos cerca de 3,4 milhões de inscritos nas duas versões (impressa e digital). Entre os presentes, 2.321.625 realizaram as provas em papel, e 29.888, em computador. No segundo dia de aplicação, os participantes resolveram itens de matemática e suas tecnologias, e ciências da natureza e suas tecnologias.

O balanço foi apresentado nesta segunda-feira, 21 de novembro, em coletiva de imprensa, com as presenças do ministro da Educação, Victor Godoy, do presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) substituto, Carlos Eduardo Moreno Sampaio, e dos diretores de Gestão e Planejamento, Jôfran Roseno; de Tecnologia e Disseminação de Informações Educacionais, Fernando Szimanski; e de Avaliação da Educação Básica substituto, Rubens Lacerda.

Os dados são preliminares, tendo em vista que os números conclusivos dependem da apuração definitiva do consórcio aplicador. O Inep divulgará os Cadernos de Questões e os gabaritos às 18h (horário de Brasília) da próxima quarta-feira, 23 de novembro.

O ministro da Educação falou, durante a coletiva de imprensa, sobre os números relacionados à logística do exame. Victor Godoy lembrou que a realização do Enem 2022 envolveu a aplicação de provas em 1.747 municípios brasileiros, com a participação de mais de meio milhão de colaboradores. Além disso, o Inep mobilizou 11.175 locais de prova, 12.059 coordenações e mais de 153 mil salas.

Para o ministro, a realização do Enem 2022 foi um sucesso. No evento, ele destacou que “as taxas de abstenção estão dentro da normalidade histórica, retornando os percentuais que eram registrados antes da pandemia de covid-19”. Também informou que os resultados de todos os participantes serão publicados em 13 de fevereiro de 2023. “A partir da disponibilização dos resultados do Enem, que é o pontapé inicial dos programas educacionais do Ministério da Educação (MEC), nós teremos o processo seletivo do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para acesso às universidades federais, e, em seguida, o Programa Universidade para Todos (Prouni) e o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), do ano de 2023”, completou o ministro.

Próximas edições – De acordo com Godoy, há licitação em andamento para selecionar possíveis aplicadoras para o Enem, o que não ocorria desde 2009. “Essa medida também busca dar mais transparência e competitividade ao processo, além de reduzir custos”, explicou.

O presidente do Inep falou sobre as iniciativas para as próximas edições do Enem. “Já pensando na aplicação do exame no futuro, atualmente o Inep trabalha na elaboração das matrizes do Enem 2024, que será vinculado à Base Nacional Comum Curricular (BNCC)”. De acordo com Moreno, o cronograma da edição de 2023 será divulgado ainda em 2022.

Carlos Moreno também avaliou como positiva a aplicação do Enem 2022. “Nos últimos dois domingos, buscamos sempre garantir a isonomia e a equidade nesse processo, que mobilizou todas as equipes do Instituto, com o objetivo de realizar um exame de forma ágil e alinhado aos princípios da administração pública”, afirmou.

Dia 1 – No primeiro dia, em 13 de novembro, 2.490.880 participantes compareceram, o que corresponde a 73,3% do total de inscritos nas duas versões (impressa e digital). Dos presentes, 2.458.504 fizeram o exame em papel, e 32.376, em computador — os dados também são preliminares. Nessa ocasião, foram realizadas as provas de linguagens, códigos e suas tecnologias, ciências humanas e suas tecnologias, além da redação, com o tema “Desafios para a valorização de comunidades e povos tradicionais no Brasil”.

Reaplicação – Nesta segunda-feira (21), começou o prazo para solicitar a reaplicação, por meio da Página do Participante. A pessoa que faltou a alguma das aplicações (em 13 e 20 de novembro) por problemas logísticos ou doenças infectocontagiosas previstos nos editais pode pedir para fazer as provas nos dias 10 e 11 de janeiro de 2023. Nessas datas, o Inep também aplicará o exame para Pessoas Privadas de Liberdade ou sob medida socioeducativa que inclua privação de liberdade (Enem PPL) 2022. O período de solicitação termina na próxima sexta-feira, 25 de novembro. Vale destacar que quem compareceu em algum dos dias deve solicitar a reaplicação somente do dia em que faltou.

Se a pessoa foi afetada por desastres naturais, por comprometimento da infraestrutura do local ou falta de energia elétrica, pode entrar com o pedido. Isso vale, ainda, para casos nos quais ocorreram erros de execução em procedimento de aplicação e para quem faltou por sintomas de alguma das doenças infectocontagiosas listadas no edital. São elas: covid-19, tuberculose, coqueluche, difteria, doença invasiva por Haemophilus influenza, doença meningocócica e outras meningites, varíola, Influenza humana A e B, poliomielite por poliovírus selvagem, sarampo, rubéola e varicela.

Em casos de doenças infectocontagiosas, os pedidos devem ser acompanhados por documentos comprobatórios, que serão analisados pelo Inep individualmente. Já em relação a problemas logísticos, o Instituto avaliará as solicitações, de acordo com as possíveis intercorrências registradas. A aprovação do pedido garante a reaplicação do exame.

Outros motivos – Quem faltou a qualquer um dos dias do Enem por motivos que não se enquadram no edital não tem direito à reaplicação. Caso o participante tenha comparecido a apenas um dia, será considerado ausente no outro e terá as notas divulgadas no boletim de desempenho individual. No entanto, as pontuações servirão apenas para autoavaliação de conhecimento.

Enem – O Exame Nacional do Ensino Médio avalia o desempenho escolar dos estudantes ao término da educação básica. Ao longo de mais de duas décadas de existência, tornou-se uma das principais portas de entrada para a educação superior no Brasil, por meio do Sisu e de iniciativas como o Prouni, ambas ações do Ministério da Educação (MEC).

 

FONTE: Ministério da Educação