PNAE do Brasil é referência em Programa de Cooperação Internacional
Notícias
setembro 5, 2022

A última semana (29/8 a 2/9) foi marcada pela realização de uma visita técnica sobre Programas de Alimentação Escolar em Brasília, em Brasília.  O evento contou com a presença de representantes dos países de El Salvador, Equador, Guatemala, Honduras, Panamá, Paraguai, República Dominicana e da Comunidade do Caribe.

O encontro faz parte do Programa de Cooperação Internacional Brasil-FAO, que conta com a participação do Ministério da Educação, por meio do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação, da Agência Brasileira de Cooperação (ABC/MRE), e da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

O intercâmbio e a cooperação entre os países visa fortalecer e aprofundar o impacto dos principais acordos, planos e estratégias sobre segurança alimentar, melhor nutrição e erradicação da fome, tendo como referência a experiência do Programa Nacional de Alimentação Escolar – PNAE do Brasil.

A experiência acumulada pelo PNAE do Brasil é descrita como uma política social, ampla e universal para a educação pública, sistemática, baseada em marcos legais, em ações de educação alimentar e nutricional e na oferta de uma dieta saudável, adequada e regionalizada nos centros educacionais com, pelo menos, 30% dos produtos adquiridos da agricultura familiar.

Devido a essas características, o PNAE é reconhecido como referência do Programa de Cooperação Internacional para outros países. Sua estrutura é organizada para atender diretamente quase 41 milhões de estudantes por dia, em regime colaborativo com 27 unidades da federação e 5.570 municípios brasileiros.

O Programa de Alimentação Escolar no Brasil cresceu em abrangência e qualidade. Hoje, fornece refeições diversificadas, que atendem a critérios nutricionais específicos e se vinculam às culturas locais das regiões brasileiras.

O PNAE tornou-se um veículo para a promoção de saúde no ambiente escolar, favorecendo a construção de hábitos alimentares adequados e saudáveis e da educação alimentar e nutricional de estudantes da educação básica da rede pública brasileira.

Ao longo desta semana, houve oportunidade de apresentar as ações que são desenvolvidas pelo PNAE. Para complementar, foram realizadas visitas técnicas a algumas escolas públicas do Distrito Federal e a cooperativas de produtores familiares.

 

Cooperação técnica

A cooperação técnica internacional brasileira é pautada nos princípios da colaboração, da horizontalidade e do respeito à soberania dos países, nesse sentido, a Rede de Alimentação Escolar Sustentável (RAES), se configura também como um importante instrumento de apoio aos países que a compõem, como forma de superar desafios e estimular o crescimento. Por meio da socialização de conhecimentos, de experiências exitosas, pode-se para a capacitação de recursos humanos, para o fortalecimento das instituições dos países cooperantes e de suas políticas de alimentação escolar.

 

FONTE: Assessoria de Comunicação Social do MEC com informações do FNDE