Desmatamento e seca caem no Enem? Veja como o tema pode aparecer na prova e dicas para estudar
ENEM
11 de dezembro de 2020

A Amazônia teve 11 mil km² de desmatamento entre agosto de 2019 e julho de 2020, segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), que monitora a floresta por imagens de satélites. A seca no Pantanal agravou as queimadas – e, de janeiro a setembro de 2020, 26% de todo o bioma já havia sido consumido pelas chamas.

Os números chamam a atenção sobre meio ambiente, tema que é recorrente no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Em 2020 não deve ser diferente, afirma Ademar Celedônio, diretor de Ensino e Inovações Educacionais do SAS.

Mas o aluno deve ficar atento: não é a notícia em si que vai cair na prova, e sim temas relacionados aos desmatamentos, queimadas ou a questões sobre meio ambiente em geral.

Um levantamento do SAS Plataforma de Educação, com base nas últimas dez edições do exame, aponta que:

  • 17,1% das perguntas de geografia no Enem são sobre meio ambiente;
  • e 10,8% das questões de química também estão ligadas a esse tema.

“O Enem gosta de cobrar temas perenes, que aparecem direto na sociedade, e meio ambiente é um deles”, afirma Celedônio.

“Há habilidades competências que o Enem cobra que tangenciam estes temas transversais. O conteúdo é menos importante do que a habilidade do candidato”, afirma André Freitas, do Sistema pH.

“Em uma prova com questões em TRI, essas competências e habilidades são mais importantes do que o contexto e pretexto que a questão está trazendo ali.”

Enem 2020 será aplicado nos dias 17 e 24 de janeiro (prova impressa) 31 de janeiro e 7 de fevereiro (prova digital).

Fonte: G1