Ines produz materiais didáticos e paradidáticos acessíveis a surdos por meio do DIDAPS
Acessibilidade
27 de maio de 2021

O grupo de pesquisa Desenvolvimento de Instrumentos Didáticos Acessíveis na Perspectiva Surda (DIDAPS) do Instituto Nacional de Educação de Surdos (Ines) foi criado com o objetivo produzir materiais didáticos e paradidáticos acessíveis a surdos, de modo que possibilitem o seu processo de aprendizagem em Ciências Naturais na perspectiva da educação bilíngue inclusiva.

Por meio do DIDAPS, o Ines produz conteúdos didáticos nos mais variados formatos. O videolivro “Um menino do Brasil”, por exemplo, conta a história de um menino surdo de origem humilde, que teve uma oportunidade de inclusão na escola. O livro foi escrito em língua portuguesa pela autora Carla Silva Souza e adaptado para Libras pela equipe DIDAPS.

A série “De Olho na Ciência” também é um exemplo de produção do DIDAPS. Trata-se de um programa educativo e divertido, criado com o intuito de aguçar o interesse do adolescente surdo pelas Ciências.

O grupo de pesquisa também criou o projeto Sinalizando Química (SinQui), que apresenta vídeos com criações de sinais e conceitos para nomes e termos do universo da química. Foram produzidos 42 vídeos com o sinalário ilustrado de química em libras, abordando termos como átomo, elétron, íon e molécula, assim como grandes nomes da química, como Niels Bohr e John Dalton.

Os vídeos foram disponibilizados no canal do YouTube do Ines e podem ser acessados por meio do link: https://www.youtube.com/watch?v=uW3w7jOu4zU&list=PL18ybxrEghTsp5KTZchwQxZUraWM6Egcg.

Saiba mais sobre o DIDAPS e seus projetos.

Fonte: MEC